Governador do ES decreta estado de emergência

O governador José Ignácio Ferreira decretou, nesta quarta-feira, estado de emergência no Espírito Santo por causa dos estragos provocados pela chuva, que começou na última sexta-feira.Nove pessoas já morreram, três continuam desaparecidas, e 2.600 estão desabrigadas em 28 dos 78 municípios capixabas.Até esta terça-feira, apenas seis municípios estavam em estado de emergência. Nesta quarta, o governador e o ministro da Integração Nacional, Ney Suassuna, sobrevoaram de helicóptero o norte do Estado, o mais atingido.A previsão da meteorologia é que as chuvas continuem até a próxima sexta-feira, pelo menos, o que deve agravar a situação.Suassuna colocou a estrutura do governo federal à disposição do Estado e anunciou a possibilidade de liberação de verbas. O ministro da Integração Nacional disse ter ficado impressionado com a extensão dos danos. Ainda nesta quarta ele viajou para o Ceará, que enfrenta a seca.Com o excesso de chuva, barragens construídas ilegalmente se romperam, provocando a interrupção de estradas e mortes.Apenas em Jaguaré, 145 barragens se romperam. Em Rio Bananal foram 160. O mesmo aconteceu com outras 80 em Nova Venécia.O secretário estadual de Meio Ambiente, Sávio Martins, disse que não houve fiscalização rigorosa nas centenas de barragens construídas durante os três anos de estiagem no Estado. Na madrugada desta quarta, a rodovia estadual ES-130 também foi interrompida, isolando três municípios do extremo norte do Estado - Murici, Ponto Belo e Montanha, onde 40 casas foram destruídas.Essa rodovia era uma das alternativas para a BR-101. Segundo o secretário estadual de Transportes, Jorge Leal, serão necessários no mínimo 30 dias para a reconstrução da estrada.Engenheiros do Exército que também sobrevoaram o norte do Estado estudam a possibilidade de construir uma ponte metálica para solucionar o problema com a interrupção da BR-101.A BR-101 Norte é a estrada em piores condições. Sua interrupção em três pontos está causando prejuízos diários de US$ 180 mil à Petrobras.O petróleo que a estatal produz na região só pode ser escoado por carretas. Na região serrana, onde se concentra a produção de frango de corte, as chuvas também estão causando prejuízo. As granjas estão com dificuldade até para obter ração para as aves.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.