Governador evita dar detalhes sobre carro com explosivos

O governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), candidato à reeleição, disse hoje que já havia sido informado há cerca de uma semanasobre possíveis planos de atentados com a utilização do carro-bombaencontrado hoje na rodovia Anhangüera. O governador evitou comentar mais detalhes do caso, alegando que as informações precisas seriam fornecidas pelo secretário da Segurança Pública, Saulo de Castro Abreu Filho. "O secretário me manteve informado de todo o trabalho de investigação que está seno feito, mas eu prefiro que ele fale sobre esse assunto porque ele tem o limite exato do que pode ser transmitido para a opinião pública", disse Alckmin. Segundo o governador, não há elementos para afirmar se o atentado, que não chegou a acontecer, teria conotação política.Na avaliação de Alckmin, os responsáveis pela ameaça são membros do Primeiro Comando da Capital (PCC). "É esse mesmo timinho, mas não vamos recuar um milímetro no enfrentamento"; a orientação é enfrentar.""O que eu quero deixar claríssimo é que contra essas organizações criminosas teremos firmeza absoluta: é enfrentamento, desmantelar a quadrilha e prender seus integrantes em penitenciárias de segurança máxima, como a de Presidente Bernardes e a de Taubaté", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.