Governador nega ter recebido pedido para ficar com Beira-Mar

O governador de Mato Grosso do Sul, José Orcírio dos Santos, o Zeca do PT, negou ter recebido pedido do governo federal para manter preso no Estado o traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, transferido nesta quinta-feira de Presidente Bernardes (SP) para Maceió (AL).Ele atribuiu as informações desencontradas sobre a possibilidade de Beira-Mar vir para Campo Grande a uma mera ?especulação? com o objetivo de ?aterrorizar a população?. ?Nunca teve pedido formal, nenhuma conversa?, disse o governador, após receber o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi a Campo Grande participar da abertura de uma feira agropecuária.Segundo Zeca do PT, o presídio estadual de Mato Grosso do Sul não oferece as condições de segurança necessárias para manter Fernandinho Beira-Mar. ?Não tinha medo (de que Fernandinho Beira-Mar viesse para cá). Se isso fosse concretamente ventilado, a ponderação que, evidentemente, se teria que fazer é que não há instalações do presídio estadual, no sentido de toda a segurança que precisa para ter o Fernandinho Beira-Mar aqui?, disse o governador. ?No dia que tiver, não tem problema nenhum, com o apoio da Polícia Federal a gente poder estar discutindo.?Zeca do PT conversou com Lula no Hotel Bristol Jandaia e disse que o presidente falou por telefone com o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos. Ele espera o anúncio de ações do governo federal para combater o narcotráfico na fronteira do Estado com o Paraguai e a Bolívia.Segundo o governador, dados da PF mostram que 70% das apreensões de drogas no País, no ano passado, ocorreram em Mato Grosso do Sul. ?Tenho defendido que seria mais fácil cuidar da fronteira do que das drogas quando chegam às grandes cidades do Brasil?, disse Zeca do PT. Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.