Governador paulista critica imprensa por 'leviandades'

Governador paulista critica imprensa por 'leviandades'

Pré-candidato do PSDB à Presidência, o governador José Serra acusou ontem a imprensa de cometer "leviandades" e manter na "clandestinidade" ações da sua gestão. As queixas foram feitas um dia depois de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva dizer que jornais e TVs agem de "má-fé" e dão informações erradas sobre seu governo.

Silvia Amorim, O Estadao de S.Paulo

26 de março de 2010 | 00h00

"Outro dia nós apresentamos resultado de pesquisa que permaneceu clandestina na imprensa, evidente, sobre o índice de satisfação de atendimento dos pacientes do SUS nos hospitais", reclamou o tucano, durante cerimônia de entrega de um centro de radioterapia no Instituto do Câncer, na capital paulista. "Eu só espero que não vão dizer que eu vim aqui inaugurar obra inacabada ou ressonância que não começou a funcionar."

O serviço de radioterapia ainda não está disponível. Segundo o diretor do Instituto do Câncer, Giovanni Guido Cerri, o atendimento começará em abril. O governador disse que vai voltar à unidade para fazer um check-up antes da campanha.

Serra acusou a imprensa paulista de ser leviana. "Eu fui inaugurar o centro de atendimento integrado à saúde mental prontinho (anteontem) e transmitiram ao mundo que fui entregar obra inacabada. Isso se chama leviandade e não escapa nenhum grande jornal de São Paulo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.