Humberto Pradeira/PSB
Humberto Pradeira/PSB

Governadores do Sul e Sudeste prometem ajudar ministro da Infraestrutura com transporte de cargas

Titular da pasta quer evitar o fechamento de estabelecimentos à beira de estrada, como restaurantes, postos de gasolina, borracharias e oficinas mecânicas

Paula Reverbel, O Estado de S.Paulo

23 de março de 2020 | 21h46

Os governadores das regiões Sul e Sudeste se comprometeram nesta segunda-feira, 23, a ajudar o titular da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, na proteção do transporte de cargas diante da pandemia do novo coronavírus. De acordo com o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), o ministro pediu ajuda para evitar o fechamento de restaurantes e oficinas à beira de estrada. 

“O ministro está preocupado com o transporte de cargas do Brasil e pediu que os governadores tivessem uma posição semelhante para evitar que restaurantes à beira de estrada fechem, que postos de gasolina, borracharia, oficinas mecânicas fechem, para poder garantir o transporte rodoviário que é o principal do Brasil”, explicou Casagrande ao Estado

“Todos nós concordamos com essas medidas”, acrescentou. O tema foi um dos pontos da reunião por videoconferência entre os governadores do Sul e do Sudeste. A conversa cerca de duas horas.

Casagrande elogiou ao Estado medidas anunciadas pelo governo federal como a transferência de recursos financeiros e insumos da área da Saúde para Estados e municípios ao longo dos próximos quatro meses, além da manutenção, mesmo diante de crise econômica, dos repasses mensais  do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

O governador do Espírito Santo elogiou ainda a suspensão do pagamento das dívidas dos Estados e com os bancos públicos durante um período de tempo que pode variar entre quatro e seis meses. O Estado apurou que esta última medida deve beneficiar todos os Estados da federação e não apenas os do Nordeste.

Outra sugestão dos governadores que ainda não foi atendida pelo governo federal foi o envio de uma proposta de emenda constitucional ao Congresso que permita que os governos estaduais adiem o pagamento de precatórios. “Isso aliviaria o caixa do Tesouro, se ele não tivesse que repassar ao Poder Judiciário”, defendeu.

“As medidas anunciadas são boas. Apenas o recurso da assistência social, R$ 2 bilhões (para Estados e municípios), é pouco. Já o recurso para a Saúde é um bom volume”, afirmou Casagrande ao Estado.

Declarações de Bolsonaro

Os governadores do Sul e do Sudeste também abordaram as idas e vindas das declarações do presidente da República com relação ao coronavírus e as afirmações contraditórias. “Essa é uma crítica aberta que a gente tem feito ao presidente, não é uma crítica oculta. Ao mesmo tempo em que ele toma medidas importantes como as que ele tomou hoje, da declarações como as de ontem de que os governadores estão acabando com a economia e com o emprego”, afirmou Casagrande.

“É preciso que a gente esteja juntos nesse trabalho. O presidente da República tem que liderar o Brasil nesse trabalho. E ele tem que estar convencido pessoalmente. Me parece que ele está convencido politicamente, mas não pessoalmente. Ele menospreza a crise. É melhor a gente pecar pelo excesso neste caso”, defendeu.

Os governadores do Sul e do Sudeste vão ter uma reunião virtual com Bolsonaro na quarta-feira de manhã. 

Espírito Santo

O governo do Espírito Santo adotou medidas como a suspensão de aulas e do comércio de itens não essenciais, além da proibição temporária do corte de água. Restaurantes podem ficar abertos até 16h. A administração ainda tirou de circulação os ônibus com ar condicionado não estão circulando, já que eles podem ajudar a espalhar o novo coronavírus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.