Governadores e ministros apresentam pacote 222 no Rio

Três governadores, dois ministros e o presidente do Banco Central reuniram a imprensa no fim da noite de domingo para uma coletiva atípica, no camarote do anfitrião, Sérgio Cabral Filho (PMDB), no sambódromo do Rio. O anúncio tratava do assunto em pauta, o carnaval. Até Meirelles caiu no samba. Ele esquivou-se de comentários a respeito de sua eventual permanência no governo, mas elogiou a proposta lançada por Cabral e pelos governadores da Bahia, Jaques Wagner (PT), e de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), com o apoio dos ministros Gilberto Gil (Cultura) e Walfrido dos Mares Guia (Turismo): o chamado Triângulo da Folia. A idéia é criar pacotes turísticos para o carnaval de 2008 que incluam dois dias no Rio, dois em Salvador e dois no Recife. "É uma idéia muito boa. Espero que dê certo e que cada vez mais nós possamos ter, além da brincadeira, do samba, também a criação de um pólo de atração turístico ainda maior, aproveitando essa grande festa popular", declarou o presidente do BC, todo de branco. Ao ser perguntado sobre sua permanência à frente do BC, Meirelles respondeu: "Não é o momento de falar sobre esse tipo de assunto agora, é o momento do samba, da diversão. A novidade é o triângulo da folia". O governador da Bahia explicou como tudo começou. "Essa proposta é uma brincadeira que vai acabar dando uma coisa séria. Eu liguei pro Cabral e perguntei se ele não queria ver o meu carnaval: ?Se você vier, eu vou ver o seu.? E acabou rolando a idéia do triângulo da folia", disse Wagner. O governador do Rio passou o sábado de carnaval em Salvador e viajaria na terça para Recife. "Em vez de a gente ficar dizendo qual é o melhor carnaval do Brasil, é melhor dizer que o Brasil tem os três melhores carnavais do mundo. E de repente vai virar o pacote 222. O ministro do Turismo já sentiu que vai dar samba e está aqui acompanhando a gente. Eu acho que é isso: samba de um lado, frevo do outro e axé do outro. Em nenhum lugar do mundo você tem isso", afirmou o governador baiano. O nome 222 é uma referência à música Expresso 2222, de Gil, que estava ao lado. Mares Guia ainda brincou: "Os últimos dois dias o turista vai passar em Minas, para descansar. Já falei com o Aécio", disse o ministro, referindo-se ao governador de Minas, Aécio Neves (PSDB). "Temos que transformar isso num produto mundial. Vamos aproveitar essa integração dos governadores para fazer agora um pacote do carnaval brasileiro." Mares Guia elogiou o setor de aviação civil do País, apesar das crises. "Tivemos 46,2 milhões de desembarques domésticos no ano passado, 3 milhões a mais que no ano anterior. O setor de aviação civil no Brasil está em franco progresso, crescendo a taxas superiores a 15% ao ano. Não fosse a crise da Varig, nós teríamos ultrapassado 50 milhões." Cabral concluiu a conversa com elogios ao Estado que governa: "Essa harmonia é a marca do Rio, que nós estamos resgatando. O Rio tem essa característica de receber bem, de ser cosmopolita, a marca da interação, do bom relacionamento. Eu tenho que desempenhar exatamente esse papel. E isso dá resultados práticos na administração".

Agencia Estado,

19 Fevereiro 2007 | 06h27

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.