DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Governadores se reúnem com Maia e Alcolumbre

No encontro, discutiu-se vacina em desenvolvimento pelo laboratório chinês e questões de ajustes fiscais

Marlla Sabino, O Estado de S. Paulo

03 de novembro de 2020 | 19h23

BRASÍLIA - Governadores de vários Estados se reuniram nesta terça-feira, 3, com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e defenderam uma coordenação entre os Estados para a aquisição de uma vacina contra a covid-19, assim que liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

 “Tenho alertado que, se não houver uma coordenação nacional, e se os Estados forem estimulados a disputarem entre eles a aquisição de vacinas, todos saem perdendo”, afirmou o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, após o encontro. Na sua avaliação, a falta de entendimento sobre a imunização pode causar uma corrida pela vacina, como houve em relação aos respiradores no início da pandemia do novo coronavírus no País. 

A reunião ocorreu após uma série de desentendimentos públicos entre o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria. O tucano é hoje o principal adversário de Bolsonaro e quer disputar a eleição de 2022 ao Palácio do Planalto. O presidente é candidato a novo mandato.

Os governadores temem a possibilidade de Bolsonaro ignorar a vacina em desenvolvimento pelo laboratório chinês Sinovac e o Instituto Butantan, por causa de disputas políticas. O governador do Piauí, Wellington Dias, pediu que a primeira vacina autorizada pela Anvisa seja distribuída à população. 

Leite, por sua vez, observou que Maia e Alcolumbre indicaram haver uma “sensibilidade” de Bolsonaro para avançar no tema. “Não é vacina do governador João Doria. É vacina de um instituto renomado, reconhecido e desenvolvido em parceria com laboratório chinês, de onde já vem a maior parte de insumos das vacinas que são utilizadas pela população brasileira. Não há de se ter nenhum preconceito, muito menos ser norteado por questões políticas”, disse o governador gaúcho. 

Na reunião também foram tratadas questões de ajustes fiscais dos Estados. Dias disse que a sinalização do presidente da Câmara foi a de que o projeto que trata da solução de dívidas dos Estados será prioridade após o primeiro turno das eleições e incluído na pauta do próximo dia 17. Por  esse cronograma, o texto iria ao plenário do Senado logo em seguida, no dia 19. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.