Divulgação/BEA
Divulgação/BEA

Governo brasileiro analisa assistência para famílias de vítimas do voo 447

Itamaraty diz estar em contato com autoridades francesas para discutir apoio aos parentes

Agência Brasil,

11 de novembro de 2011 | 18h37

BRASÍLIA - O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse nesta sexta-feira, 11, que o governo brasileiro está em contato permanente com as autoridades da França para definir sobre a assistência que deverá ser prestada às famílias das vítimas do acidente com o voo Rio-Paris da Air France - cuja aeronave caiu no mar em 31 de maio de 2009. As 228 pessoas a bordo morreram.

O Itamaraty confirmou que 18 dos 103 corpos identificados são de brasileiros. "Estamos cooperando com a França desde o início, mas por enquanto não tenho detalhes técnicos adicionais", disse o chanceler. "Estamos analisando para verificar como pode ser essa assistência", completou.

No dia 7, as autoridades francesas informaram que não foi possível identificar apenas um corpo dos 104 recuperados. O trabalho de retirada dos corpos do fundo do mar foi feito em várias etapas e a última foi encerrada há alguns meses. De acordo com a perícia francesa, os restos mortais das vítimas incluem ossos como o fêmur, o que facilita a identificação.

Estavam no voo da Air France, de número 447, pessoas de 32 nacionalidades. Logo após o acidente, 50 corpos foram retirados do mar por militares do Brasil e da França. Em seguida, esses corpos foram identificados. Desse total, 20 eram de brasileiros.

As causas do acidente ainda são investigadas. A expectativa é que as autoridades francesas, responsáveis pelo trabalho, publiquem um relatório técnico em junho de 2012. Porém, o assunto levanta várias especulações - de falha humana a problemas técnicos.


Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.