Governo começa a definir estratégia contra enchentes

O ministro das Cidades, Olívio Dutra, e o secretário Nacional de Habitação, Jorge Hereda, começaram hoje a definir uma estratégia para solucionar os problemas provocados pelas enchentes no setor habitacional. As negociações foram iniciadas pelo Estado do Piauí. De acordo com a assessoria de imprensa do Ministério das Cidades, a avaliação in loco dos estragos feitos pelas enchentes deverá nortear a aplicação dos recursos do Orçamento Geral da União (OGU) para novas moradias. Terão prioridade para uso da verba as famílias que tiveram suas casas destruídas pelas enchentes. Levantamento da Secretaria Nacional da Defesa Civil, do Ministério da Integração Nacional, contabilizava até ontem 4.285famílias desabrigadas, distribuídas em 124 cidades de 11 estados. São 1.103 famílias na Paraíba; 1.019 na Bahia; 598 emPernambuco; 520 em Alagoas; 478 no Piauí; 327 no Rio Grande do Norte; 132 no Ceará; 66 em Sergipe; 26 no Rio de Janeiro; 13em São Paulo e três no Espírito Santo.As negociações com estados e municípios pretendem oferecer soluções duradouras às famílias desabrigadas que vivem emáreas de risco. Segundo o ministério, a proposta é que novas casas sejam construídas em áreas adequadas, com infra-estrutura básica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.