Governo cria 4.500 vagas na Polícia Federal

O governo editou hoje duas medidas provisórias que criam 4.500 vagas na Polícia Federal e também a carreira de agente penitenciário federal; para esta última serão abertas 700 vagas, das quais 200 serão preenchidas imediatamente, sem concurso público. O anúncio foi feito pelo mininitro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos. Ele ressaltou que a medida faz parte de uma campanha de modernização da Polícia Federal. Na PF, serão 500 vagas de delegado, 500 de perito criminal, 1.100 de agentes, 600 de escrivão, 300 de papiloscopista. Foi criada ainda a carreira de apoio à atividade policial, que será desenvovida por técnicos administrativos com 1.260 vagas e mais 240 vagas para analistas administrativos.Os 200 agentes penitenciários a serem nomeados imediatamente devem ser recrutados entre os soldados do Exército que estão dando baixa este ano, pelo fato de os mesmos terem algum tipo de treinamento na área. A contratação desse contingente será temporária. Bastos viaja hoje para o Rio de Janeiro, onde irá se encontrar com a governadora Rosinha Matheus para discutir o pacote de segurança para o Rio de Janeiro no qual o governo federal apresentará em torno de 100 propostas.Veja o índice de notícias sobre o Governo Lula-Os primeiros 100 dias e os ministériosVeja o especial:

Agencia Estado,

14 de março de 2003 | 12h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.