Governo de Alagoas transfere 240 presos da capital para o interior

Objetivo é evitar confrontos; entre os detentos remanejados, pelo menos 20 são considerados líderes de facções

CARLOS NEALDO, Especial para O Estado

16 Janeiro 2017 | 19h52

MACEIÓ - Uma operação das secretarias de Segurança Pública e de Ressocialização e Inclusão Social de Alagoas transferiu na tarde desta segunda-feira, 16, 240 presos do sistema prisional em Maceió para o presídio Desembargador Luiz de Oliveira Souza, localizado no município de Girau do Ponciano, distante 157 km da capital alagoana. 

A medida tem como objetivo evitar possíveis confrontos semelhantes aos que ocorreram nos Estados do Amazonas, Roraima e Rio Grande do Norte, que resultaram em mais de 120 mortes. 

Entre os presos transferidos estão pelo menos 20 considerados líderes de facções, segundo a Secretaria de Ressocialização. A intenção do órgão é transferir esses detentos para penitenciárias federais fora de Alagoas. "Queremos evitar mortes e conflitos no sistema prisional por causa dessa guerra declarada de facções criminosas que assola todo o País e que já culminou na morte de mais de 120 presos em diferentes Estados", ressaltou o secretário Marcos Sérgio de Freitas Santos. 

A operação de transferência desta tarde contou com equipes do Grupamento de Escolta, Remoção e Intervenção Tática (Gerit), Batalhão de Operações Especiais (Bope), dois helicópteros do Grupamento Aéreo, Batalhão Rodoviário e unidades de resgate do Corpo de Bombeiros. 

Segundo o secretário de Ressocialização, outros 240 detentos do presídio Desembargador Luiz de Oliveira Souza serão transferidos, ainda nesta segunda, para o sistema penitenciário de Maceió. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.