Divulgação Secretaria de Estado de Saúde de SP
Divulgação Secretaria de Estado de Saúde de SP

Governo de SP acusa deputados de invasão a hospital em meio à pandemia

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, os parlamentares Arthur do Val (Patriota), Ricardo Mellão (Novo) e Kim Kataguiri (DEM -SP) tentaram acessar à força área restrita do hospital para atendimento a casos graves de Covid-19; veja o vídeo

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2021 | 13h40
Atualizado 17 de abril de 2021 | 16h54

Os deputados estaduais Arthur do Val (Patriota) e Ricardo Mellão (Novo), além do deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), invadiram o Hospital Geral de Guarulhos, Grande São Paulo, na tarde de sexta-feira, 16, segundo o governo do Estado.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, eles tentaram acessar à força a área restrita de atendimento aos casos graves de Covid-19 promovendo aglomeração e risco à equipe e aos pacientes da ala.

Nesta sexta-feira, o Hospital Geral de Guarulhos estava com 60 pacientes internados com quadros graves da Covid-19, sendo 27 em enfermaria e 33 em UTI.

Arthur do Val, conhecido como Mamãe Falei, publicou em seu perfil no Twitter um vídeo no qual afirma que o grupo fez "uma fiscalização com o máximo de respeito e que em nenhum momento usou de grosseria ou de violência”. Segundo do Val, a escolha pelo Hospital Geral de Guarulhos acontece por ser uma unidade a qual ele enviou emendas.“É claro que há o primeiro choque de uma fiscalização surpresa, quando a gente chega lá com câmera. O pessoal resiste no começo, isso é normal. Só que, em nenhum momento, nós usamos de grosseria ou violência. Em nenhum momento. A gente simplesmente pediu permissão para entrar, a gente disse que não podia esperar porque era uma fiscalização surpresa.”

"Em nenhum momento tive a intenção de invadir a ala de COVID-19 e nem foi o objetivo da fiscalização no Hospital Geral de Guarulhos. Minha agenda era voltada ao acompanhamento de projetos importantes no combate ao COVID-19 e segui, junto a outros parlamentares, para uma visita de fiscalização acompanhada pelos profissionais locais. A visita se restringiu a conferir o prontuário de presença dos médicos, o atendimento à população e os itens do almoxarifado. Tenho como rotina de trabalho como deputado fiscalizar equipamentos públicos, como já fiz em diversas ocasiões. Entendo que visitas-surpresa geram desconforto, peço desculpas pelo mal-entendido, faço um elogio ao trabalho dos profissionais do hospital e lamento a forma como o episódio foi tratado pela Secretaria da Saúde", afirmou, em nota, o deputado Ricardo Mellão.

Kim Kataguiri, também por meio do Twitter, disse ser “bizarro que, no meio de uma pandemia, a pasta dedique seu tempo para espalhar mentiras na internet”.

Em nota, a SES lamentou ocorrido e informou que a "conduta dos parlamentares destoa do que é esperado de autoridades públicas, que deveriam ser exemplo e zelar pela segurança da população, principalmente em tempos de crise sanitária global".

Ainda segundo o texto, o episódio é "um ato de desrespeito não apenas com os profissionais da saúde que ali atuam, mas também com as vítimas da doença e seus familiares."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.