Governo do ES decreta estado de emergência após chuvas

Cinco pessoas morreram desde quarta-feira; 20 mil estão desabrigadas

Wilson Tosta - O Estado de S. Paulo,

21 Dezembro 2013 | 20h34

RIO - O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, anunciou na manhã deste sábado, 21,  que decretará situação de emergência   no Estado, atingido desde quarta-feira por fortes chuvas que já mataram cinco pessoas e deixaram mais de 20 mil desabrigados e desalojados edm 50 dos 78 municípios capixabas. O objetivo, disse ele, é facilitar medidas emergenciais, evitando entraves burocráticos e permitindo maior integração com o governo federal no combate às consequências das tempestades. Elas deixaram sob a água bairros inteiros de cidades como Vila Velha, onde o deslocamento só é possível por barco ou trator.

"Decididos decretar situação de emergência em todo  o Estado devido ao agravamento da situação já que 50 municípios foram afetados por fortes chuva, inclusive a região central do Espírito Santo", declarou o governador, após reunião com o ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, e auxiliares. "A prioridade ainda é preservar vidas, mas temos muitos estragos em rodovias federais e estaduais, além das vias municipais e, por isso, precisamos de todo o apoio para levar suprimentos, materiais de limpeza, colchões, enfim, para todo o trabalho de ajuda humanitária."

Dos cinco mortos, dois tiveram suas mortes divulgadas neste sábado. Júlio César Santos Boning, de 25 anos, foi soterrado em seu lava-jato em Paraju, distrito de Domingos  Martins. Em Laranjal, distrito de Itaguaçu, a idosa Penha Cabrito também morreu sob escombros.

Antes, morreram Sidnei Kruger, de 29 anos, que teve sua moto arrastada pela enxurrada em Córrego Jacutinga, na cidade de Baixo Guandu; Eugênio Soares, que saía de casa quando foi levado pelas águas, em Beira-Rio, bairro de Nova Venécia; e em Santo Antônio, em Colatina, um homem não identificado morreu depois que sua casa foi atingida por uma pedra. Em Água Doce do Norte, a Defesa Civil relatou um desaparecimento.

Espera-se que a inundação piore nas próximas horas, porque o volume do rio Doce está subindo. A Polícia Militar avalia que grande quantidade de água, vinda de Minas Gerais, chegará ao Estado neste domingo (22). O rio já ultrapassou a cota de inundação (5,20 metros) em Colatina, onde, segundo a Defesa Civil municipal, já passou de sete metros.

As chuvas interromperam o tráfego de trens no Estado. Neste sábado, cinco caminhões do Exército saíram de Vitória com ajuda para as vítimas. O ministro da Integração Nacional prometeu mais ajuda federal, inclusive um helicóptero.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.