Governo do Maranhão decreta estado de emergência no sistema prisional

Medida foi tomada para conter crise instalada após confronto entre facções dentre de presídio, na quarta-feira; Força Nacional de Segurança foi acionada

Ernesto Batista, Especial para o Estado

11 Outubro 2013 | 14h59

São Luís - O governo do estado do Maranhão decretou estado de emergência no sistema carcerário estadual e já solicitou apoio da Força Nacional de Segurança para controlar a crise instalada desde quarta-feira. 9, quando duas facções criminosas - o Bonde dos 40 e o Primeiro Comando do maranhão (PCM) - entraram em confronto dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, deixando um saldo de nove mortos e 20 feridos. O documento foi assinado na tarde dessa quinta-feira, 11, e divulgado nesta sexta.

"A governadora esse decreto para facilitar os procedimentos licitatórios, agilizar em matéria de burocracia e, com isso, vai facilitar substancialmente não só a construção, mas a ampliação de presídios. Na capital, será um, e nove no interior", explicou o secretário de estado de Justiça e Administração Penitenciária, Sebastião Uchôa. "Fora isso, serão reformadas outras unidades do interior da Polícia Judiciária que passarão para a Polícia Civil e vai nos dar um suporte de 1.800 vagas, eliminando déficit carcerário em definitivo no Maranhão", concluiu.

"A governadora já fez o contato com o Ministério da Justiça. Acredito que, brevemente, por esses dias, estão chegando homens da Força Nacional para ocupar as permanências dos nossos presídios", completou Uchôa.

Mais conteúdo sobre:
maranhãpresídiosemergência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.