Governo do MT oferece R$ 100 mil por pistas sobre ex-cabo

O ex-cabo da Polícia Militar Hércules Agostinho de Araújo fugiu hoje (1) pela porta da frente do presídio de segurança máxima Pascoal Ramos, em Cuiabá, usando uma pistola de papelão. Ele é acusado de praticar dezenas de homicídios em Mato Grosso, a mando do crime organizado, chefiado pelo bicheiro João Arcanjo Ribeiro, o Comendador. O governador Blairo Maggi (PPS) decidiu oferecer uma recompensa de R$ 100 mil para quem fornecer pistas que leve à recaptura do cabo. A Polícia Federal já prendeu 18 pessoas que estavam de plantão e responsáveis pela segurança do presídio, entre elas, o diretor Cláudio Miranda, e 17 agentes penitenciários. A prisão temporária foi decretada pelo juiz federal de plantão José Pires da Cunha. Todas estão sendo investigadas na facilitação da fuga do cabo PM Hércules Araújo Agostinho. O pedido de prisão temporária foi feito pelos ministérios públicos Estadual e Federal.Hércules foi indiciado pela morte do jornalista Sávio Brandão, dono jornal Folha do Estado, que denunciava o jogo do bicho no Estado. O governo de MT decidiu oferecer uma recompensa de R$ 100 mil para quem fornecer pistas que leve à recaptura do cabo. Segundo o Secretário da Segurança, Célio Wilson de Oliveira, a decisão de oferecer a recompensa é para que todas as medidas possíveis seja empenhadas na captura do criminoso. "Não temos dúvida de que houve facilitação. Isto indica que o crime organizado ainda continua forte em Mato Grosso, inclusive infiltrado nos aparelhos carcerário e policial de nosso Estado", afirmou o secretário. O secretário informou que todo o aparato policial do Estado - polícias Civil, Militar e Rodoviária Estadual -, com apoio das polícias Federal e Rodoviária Federal, estão na captura do cabo Hércules. A secretaria de Segurança instaurou Inquérito Policial Militar (IPM) para ouvir todos os 14 policiais militares que faziam a guarda externa do presídio. Paralelo ao IMP, um inquérito policial civil foi instaurado para ouvir os 16 agentes prisionais que faziam o plantão na hora da fuga. Barreiras policiais foram montadas em todas as saídas de Cuiabá. A equipe que trabalha na investigação da fuga considera várias possibilidades para que tenha havido a facilitação, uma delas leva a crer que o cabo Hércules tinha as chaves (cópias). Informações preliminares assinalam que ele teve um colaborador que lhe abriu as portas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.