Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE

Governo do Rio atribui arrastões a pacificação de favelas

Autoridades buscam resposta coordenada; policiamento é reforçado com 150 motos.

BBC Brasil, BBC

22 Novembro 2010 | 13h30

Os arrastões que ocorreram no Rio de Janeiro durante o fim de semana e nesta segunda-feira foram associados pelo governador do Estado, Sérgio Cabral, às ações de pacificação nas favelas da cidade, com a implantação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).

Veja também:

linkTrês carros são incendiados após mais um arrastão no Rio

"Sem dúvida, os arrastões têm relação com reconquista de território e com a nova política de segurança pública do Rio. Nós não vamos retroceder nessa política. Vamos avançar, pacificando comunidades e levando paz à população", declarou o governador durante evento na manhã desta segunda-feira.

Cabral anunciou que o secretário José Mariano Beltrame está reunido com a cúpula da Secretaria de Segurança Pública para definir os próximos passos da Polícia Militar.

"Estamos preparando uma reação organizada contra os crimes cometidos neste fim de semana", disse ele, referindo-se aos assaltos a motoristas realizados na via Dutra, na Linha Vermelha, na Lagoa e no bairro de Laranjeiras.

Enquanto isso, novos assaltos foram realizados na manhã desta segunda-feira em Irajá, subúrbio do Rio. Três veículos foram incendiados e os pertences dos motoristas foram roubados.

Cabral anunciou que o policiamento nas ruas ganhará o reforço de 150 novas motocicletas nesta segunda-feira. É a primeira leva de uma encomenda de 325 motocicletas compradas pela Secretaria de Segurança.

A prioridade é de emprego das novas motocicletas em áreas onde arrastões seguidos de roubos têm ocorrido com mais frequência. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.