Governo do Rio e Angra acertam construção de 800 novas casas

Prefeito calcula em R$ 214 milhões o prejuízo com chuvas; residências servirão para moradores de encostas

Talita Figueiredo, O Estado de S. Paulo

05 Janeiro 2010 | 18h49

O prefeito de Angra dos Reis, Tuca Jordão (PSDB), calculou em R$ 214 milhões os prejuízos do município com as chuvas que atingiram a cidade no fim de 2009 e que deixaram 52 mortos. Nesta terça-feira, 5, em encontro com o vice-governador Luiz Fernando Pezão, ele conseguiu acertar a construção de pelo menos 800 novas casas para alocar moradores que estão sendo retirados das áreas de encostas que ainda representam perigo. São casas de 45 metros quadrados que custam R$ 50 mil a unidade.

 

Veja também:

linkMoradores de Angra tentam retomar rotina; mortos chegam a 52

lista Leia a cobertura completa da tragédia em Angra dos Reis

 

"O vice-governador quer chegar a 3 mil casas construídas. Acho que o problema mais grave da nossa cidade é realmente o da habitação, porque muitas famílias perderam tudo e outras mais vão perder as casas que serão demolidas, afirmou Jordão. O prefeito disse ainda que Pezão ligou durante o encontro para o diretor da Coppe-UFRJ, Luiz Pinguelli Rosa, para acertar o trabalho de monitoramento das encostas da região com a entidade.

 

Jordão informou que vai encaminhar hoje à Defesa Civil do Estado o documento oficial de avaliação de danos. Só depois de homologado ele poderá receber recursos também do governo federal para recuperar a cidade.

Mais conteúdo sobre:
Angra dos Reis Rio chuvas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.