Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Governo do RN decreta calamidade na segurança pública

Policiais civis e militares fazem greve desde o dia 19; medida permite ao governo fazer contratações em caráter emergencial

O Estado de S. Paulo

06 Janeiro 2018 | 11h29

Em meio a uma greve de policiais civis e militares no Rio Grande do Norte, governador do Estado, Robinson Faria (PSD), declarou situação de calamidade pública na área de segurança. Os agentes reduziram suas atividades desde o dia 19 em protesto contra o atraso no pagamento de salários. 

+++ Fazenda veta liberação de socorro de R$ 600 milhões ao Rio Grande do Norte

O decreto de calamidade foi publicado neste sábado, 6, no Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Norte. Segundo a publicação, "enquanto perdurar a situação declarada", ficam disponíveis para atendimento nos serviços do setor todos os bens e servidores da administração pública direta e indireta. 

+++ Justiça Federal do RN suspende verba de saúde para pagar servidores

A medida também permite ao governo "requisitar ou contratar, em caráter emergencial", quaisquer serviços e bens disponíveis, públicos ou privados, com vistas ao "restabelecimento da normalidade". Em dezembro, o governo potiguar pediu verba extra de R$ 600 milhões à União para regularizar o pagamento dos servidores. O Ministério da Fazenda, no entanto, vetou a ajuda. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.