Governo federal ajudará Angra dos Reis

O governo federal ofereceu nesta terça-feira dinheiro para auxiliar na recuperação de Angra dos Reis, que está em situação de calamidade pública desde a segunda-feira. O temporal de dez horas no domingo já deixou pelo menos 37 mortos, mais de 150 feridos e 1.200 desabrigados. O ministro da Integração Nacional, José Barbosa da Silva, esteve em Angra com a governadora Benedita da Silva e anunciou a decisão de liberar o crédito por medida provisória, prevista para esta semana. O valor da verba ainda não está definido.R$ 40 milhõesEspera-se uma avaliação da Defesa Civil de Angra e de um representante do governo federal. Antes, a prefeitura havia estimado em R$ 40 milhões o necessário para recuperar as áreas atingidas.Segundo o ministro, as verbas devem ser usadas para reconstruir casas, estabilizar encostas e recuperar rodovias. Há cerca de 60 áreas consideradas de risco.Nesta quarta-feira, Benedita vai a Brasília se encontrar com a bancada fluminense e se reunir com Barbosa da Silva. Ela solicitou audiência com o presidente Fernando Henrique Cardoso.Choro e desolaçãoA governadora, que chegou a Angra no fim da noite de segunda e visitou abrigos e um velório coletivo, chorou hoje ao caminhar em meio a destroços. "Eu estava me controlando desde que cheguei, mas quando vi sapatinhos e roupinhas de crianças, desabei." O ministro descreveu a situação como desoladora. "É terrível isso tudo. Pelo menos a gente vê a solidariedade da população."A cidade está completamente mobilizada. Desde a manhã de segunda, aparecem voluntários dispostos a colaborar. Entre eles, médicos, enfermeiros e doadores de sangue. Por toda a parte, pessoas pedem doações de roupas, comida e colchões. As estações de rádio e de tevê de Angra repetem o apelo. As principais ruas da cidade, cobertas de lama, estão ocupadas por operários e máquinas escavadeiras.Doenças e tristezaA maior preocupação da Defesa Civil agora é com doenças como hepatite A, leptospirose e tétano, transmitidas pela água da chuva misturada ao esgoto.Às 11 horas de hoje, a dona de casa Nair Coutinho descia de um barranco formado por destroços da casa da irmã, Maria da Conceição. Trazia na mão direita uma blusa rosa, presente seu para ela no domingo, dia do aniversário de 40 anos de Conceição. Na outra mão, duas fitas de vídeo, nas quais seria registrada a festa. Na mesma noite, a irmã havia morrido. "Acho que ela ainda está lá (sob a casa)", disse Nair. O corpo de Conceição foi encontrado quatro horas depois. Ela estava a um ano de completar o ensino médio. Até pouco tempo atrás, Conceição era analfabeta. Leia Também:»Já são 37 os mortos em Angra » Sobe para 36 o número de mortos em Angra dos Reis » Desmoronamento mata uma família inteira » Chuva vem causando tragédias no RJ

Agencia Estado,

10 de dezembro de 2002 | 22h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.