Governo fluminense promete retirar IML do centro do Rio

Novo governo, nova promessa. Mais uma vez, o governo do Estado prometeu retirar o Instituto médico-legal (IML) do centro do Rio. Os secretários da Segurança Pública, José Mariano Beltrame, e da Saúde, Sérgio Cortés, visitaram nesta terça-feira, 9, o prédio inaugurado em 1949 na Rua dos Inválidos e sentiram o fedor característico do local.Após a vistoria, o chefe de Polícia Civil, Gilberto Ribeiro, que acompanhou os dois, disse que o projeto é transferir o IML para um novo prédio, que segundo ele pode ser construído no prazo de seis meses. Tudo depende, porém, da "liberação de recursos".O quadro é caótico. Câmaras frigoríficas quebradas, elevadores "em manutenção", problemas na estrutura hidráulica e elétrica, falta de equipamentos e de material para exames. Ribeiro admitiu que há "problemas no armazenamento de corpos". Para Beltrame, o prédio está "totalmente sem condições" de abrigar o IML. "Nada vai resolver o problema. O que vai resolver é um novo IML", declarou o chefe de polícia."Estou doida para sair daqui por causa do mal-cheiro, mas meu filho não consegue vender o apartamento. Não sei como as pessoas agüentam tomar cerveja e comer churrasquinho aqui na rua", disse Enedina de Oliveira Lessa, de 83 anos, moradora do prédio que fica ao lado do IML. "Quando esquenta, a gente tem que fechar a janela e fica sufocada, não dá para ficar em casa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.