Governo lança programa de combate à homofobia

A cada dois dias é assassinado um homossexual no Brasil, o que dá uma média de 180 mortes por ano. A estatística, uma das mais elevadas do continente americano, vem se repetindo nos últimos três anos. Os motivos vão do ódio pela orientação sexual (homofobia) à violência, inclusive policial, à discriminação e à falta de assistência do poder público. Para enfrentar esse quadro, o governo federal lançou hoje o programa Brasil sem Homofobia, que envolverá ações de dez ministérios, em articulação com o Ministério Público, o Poder Judiciário, o CongressoNacional e os órgãos de segurança pública do País.O auditório Tancredo Neves, do Ministério da Justiça, foi tomado por representantes coloridos e alegres de 140 entidades de gays, lésbicas, transgêneros e bissexuais de todo o País, que foram prestigiar o ato, presidido pelo ministro dos Direitos Humanos, Nilmário Miranda.Estiveram presentes também a líder do governo no Senado, Ideli Salvati (PT-SC), a ministra da Igualdade Racial, Matilde Ribeiro e membros da bancada de defesa dos direitos dos homossexuais no Congresso, entre eles os deputados Fernando Gabeira (sem partido/RJ) e Luciano Zica (PT-SP).O programa prevê uma série de ações nas áreas da saúde, segurança pública, trabalho, educação e cidadania. SegundoNilmário Miranda, os homossexuais são vítimas rotineiras de manifestações odiosas em todos os segmentos da sociedade, acomeçar na família. Ele disse que a discriminação se reproduz na escola, no mercado de trabalho e no convívio social, obrigando o homossexual a viver confinado em guetos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.