Governo Lula e a campanha eleitoral são analisados em diversos jornais internacionais

Os principais jornais internacionais continuam a acompanhar a campanha presidenciável para a eleição do próximo domingo no Brasil. Nas notícias desta terça-feira, eles apontam propostas dos candidatos, os casos de corrupção do governo, e análises sobre o primeiro mandato do governo Lula.O jornal francês Le Monde apresentou em sua edição o presidente Luiz Inácio Lula da Silva como o responsável pelo grande mérito de fazer um ?Brasil menos desigual?, e, por isso, é favorito para a corrida eleitoral brasileira. ?O presidente conciliou a manutenção de uma política econômica ortodoxa com a aplicação de dispendiosos programas de luta contra a pobreza, cujo balanço hoje é visível, no entender da maioria da população?, afirma o jornal.Contudo, o Le Monde alerta para o fato de que as necessidades da população demandam aumento dos investimentos, podendo colocar em risco o volume de recursos disponíveis para infra-estrutura e educação, que são consideradas fundamentais para o contínuo avanço do país.Já o também francês Le Figaro, traz uma matéria sob o título de ?O Brasil de Lula, menos pobre e mais estável?. O artigo fala da capacidade de compra que as camadas mais pobres da população adquiriram e de como tal consumo também aqueceu a economia. ?A Fundação Getúlio Vargas considera que cerca de sete milhões de pessoas passaram da pobreza à classe média. O salário mínimo passou de 70 para 124 euros e o poder de compra aumentou?, analisa o jornal, que atribui os avanços sociais mencionados ao crescimento das exportações, maior consumo interno e criação de quase cinco milhões de empregos formais.O inglês The Guardian relembra da campanha de Lula para à Presidência de 2002, e das promessas do presidente de governar para o povo, lembrando sua origem. "Quase quatro anos depois, entretanto, muitos brasileiros estão começando a se questionar se houve algo de ético ou de revolucionário no primeiro mandato de Lula. Alegações de corrupção, suborno, casos de intimidação e de chantagem tomaram o Partido dos Trabalhadores e o governo de Lula, custando a ele a cassação do ministro da Casa Civil (José Dirceu), ministro da fazenda (Antonio Palocci) e, agora, seu coordenador de campanha (Ricardo Berzoini)".O Guardian relata também que o presidente se disse traído por seus companheiros em todos os casos de corrupção que apareceram em seu governo. O jornal aponta para a desilusão com o primeiro mandato de muitos brasileiros, contrapondo com a esperança de outros beneficiados com programas sociais como o Bolsa-Família.O periódico espanhol El País publicou a íntegra de uma entrevista com a candidata à Presidência pelo PSOL, Heloísa Helena. A apresentação aponta a senadora como a terceira colocada nas pesquisas, com apenas 8% da intenção de votos, mas lembra que, apesar de não ter chances ganhar, seus votos podem forçar um segundo turno.O El País falou sobre a saída de Heloísa do PT e a fundação do PSOL, assim como as propostas de governo da senadora e dos casos de corrupção que tomam o governo do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.