Governo manda Metrô paralisar as obras da linha 4

O secretário de Transportes Metropolitanos do Estado, José Luiz Portela, disse nesta quarta-feira, 14, que todas as 23 frentes de trabalho nas obras da linha 4 do Metrô (amarela) terão os trabalhos paralisados por duas semanas. A obra vai parar por 14 dias para que seja feito um pente- fino na linha. "É uma medida de prevenção em termos de segurança", disse em entrevista na sede do Ministério Público Estadual. Na entrevista, Portela anunciou que seriam paralisadas as obras em apenas 17 pontos. Porém, mais tarde, em telefonema ao Estado, o secretário disse que todas as frentes de trabalho serão paralisadas. A determinação é do Governo de São Paulo que exigiu do Consórcio Via Amarela a apresentação de um laudo que comprove a segurança das obras, de acordo com informações da reportagem da Rádio Eldorado AM. Com relação à futura estação Fradique Coutinho, cuja estrutura foi colocada sob suspeita por um laudo divulgado na terça pelo Jornal Nacional, a idéia é retomar as operações após a emissão de um laudo que certifique a segurança da obra. "Na Fradique Coutinho, as obras só voltarão depois do certificado de segurança", disse o secretário. Portela, que participou na tarde desta quarta de uma reunião na sede do Ministério Público Estadual com representantes do Metrô, do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), do Consórcio Via Amarela e de promotores públicos, explicou que será passado ?um pente-fino? em toda a extensão da obra da linha 4. A averiguação será feita pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) de São Paulo, que irá contratar auditores independentes para realizar o trabalho. Quatro equipes do Instituto acompanharão esses auditores contratados. Matéria atualizada com acréscimo de informações às 21h10

Agencia Estado,

14 Fevereiro 2007 | 19h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.