Governo mostra os planos para desativar a Detenção

A Casa de Detenção do Carandiru, na Zona Norte de São Paulo, deverá ser completamente desativada até março de 2002, quando se completará a transferência de mais de 7 mil presos para 11 novos presídios que começam a ser construídas a partir do mês de maio no Estado. O projeto de desativação está sendo apresentado hoje ao governador Geraldo Alckmin e à imprensa pelo secretário da Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa, e prevê a desocupação de outros setores do Complexo do Carandiru. Com isso, o governo do Estado pretende criar condições para, no futuro, liberar mais de 200 mil metros quadrados de área para a cidade de São Paulo, incluindo um dos últimos remanescentes de Mata Atlântica na área urbana da Capital. Serão mantidas apenas as unidades que abrigam a Penitenciária do Estado, prédio construído em 1920, a Penitenciária Feminina, o Hospital Central Penitenciário, o Centro de Observação Criminológica, a Escola Penitenciária, a farmácia e oficinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.