Governo paulista busca amigo de Beira-Mar

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse nesta quarta-feira que a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo iniciou investigações para localizar em que presídio paulista está o "Leomar", interlocutor do traficante Luiz Fernando da Costa, conhecido como Fernandinho Beira-Mar, preso no Complexo de Bangu I (RJ). Ele teve interceptada uma conversa telefônica, via celular, com um preso de São Paulo.Há um integrante da quadrilha de Beira-Mar, Leomar de Oliveira Barbosa, preso em São Paulo, mas ainda não foi confirmado se os dois são a mesma pessoa. Dos 108 presídios paulista, apenas a penitenciária de segurança máxima de Presidente Bernardes possui equipamento bloqueador de sinal de celular. Alckmin argumentou que a tecnologia usada nesse tipo de equipamento é nova, recém-autorizada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), e que outros cinco estabelecimentos estaduais estão em processo de concorrência pública para compra do equipamento, nas cidades de Presidente Venceslau, Mirandópolis, Iaras, Marília e na Penitenciária do Estado.Apesar do diálogo entre Beira-Mar e "Leomar", Alckmin procurou não dar tanta importância ao fato e destacar a queixa do traficante carioca sobre a dificuldades de falar com os presos paulistas. "O que eu li no jornal, hoje, é a reclamação do pessoal do Rio, da dificuldade de falar em celular com as penitenciárias de São Paulo", disse. "Aqui, estamos apertando todo o dia a ação criminosa, o que está empurrando o pessoal para fora. Fernandinho Beira-Mar é Rio, aqui em São Paulo não tem criminoso conhecido que não esteja na cadeia".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.