Governo pode criar câmara indenizatória para atender famílias

Tarso Genro relembra os trabalhos da câmara criada para atender os familiares das vítimas do voo 3054 da TAM

Agência Brasil,

04 de junho de 2009 | 13h27

O Ministério da Justiça estuda a criação de uma Câmara Indenizatória para atender às famílias de vítimas do voo 447 da Air France, que desapareceu na noite do último domingo com 228 pessoas a bordo. O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou nesta quinta-feira, 4, que pretende aguardar cerca de 40 dias para marcar um encontro com os parentes dos passageiros.

 

Veja também:

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

lista Voo 447: Veja os nomes de todas as nacionalidades; são 102

lista Air France divulga lista de brasileiros no Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

blog Blog: histórias de quem quase embarcou

especial Conheça o Airbus A330 desaparecido no trajeto Rio-Paris  

blog Acompanhe a cobertura pelo blog Tempo Real

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especial Cronologia dos piores acidentes aéreos dos últimos dez anos

video Entenda a operação que localizou destroços

video TV Estadão: Especialista fala sobre o acidente

linkApenas 4 minutos da 1ª pane até a queda
linkAirbus voava em velocidade 'errada' e teria se 'desintegrado'

linkPiloto viu clarão na rota do Voo 447, informa jornal espanhol

 

"Se for instalada, a câmara deverá funcionar de maneira combinada com uma câmara semelhante na França, respeitando os direitos internos dos dois países", disse o ministro ao participar de entrevista a emissoras de rádio durante o programa Bom Dia, Ministro.

 

Tarso lembrou os trabalhos da Câmara de Negociação criada para atender as famílias de vítimas do voo 3054 da TAM - após o acidente de julho de 2007, durante a tentativa de pouso no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, que resultou na morte das 199 pessoas a bordo.

 

De acordo com o ministro, 80% dos pedidos levados à câmara foram resolvidos extrajudicialmente. São processos que, segundo ele, poderiam demorar até dez anos, mas que foram resolvidos, em alguns casos, em menos de 12 meses. Atualmente, todas as famílias que tomaram providências legais contra a TAM (92% do total) já receberam indenizações.

 

"É uma experiência positiva e que vamos continuar, mas com as ponderações necessárias diante do momento de dor que as famílias [das vítimas do voo 447 da Air France] estão vivendo", disse Tarso.

 

Ainda nesta quinta-feira, o ministro participa de uma reunião com as famílias de passageiros do voo da TAM. Durante o encontro, eles vão pedir ao ministério a participação da Polícia Federal nas investigações do acidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.