Governo quer intensificar fiscalização de boates no País

Presidente reforçou necessidade de melhorias na área durante encontro com prefeitos nesta 2ª, em Brasília

DÉBORA ÁLVARES, Agência Estado

28 de janeiro de 2013 | 19h17

BRASÍLIA - Depois de se emocionar ao visitar Santa Maria (RS), após a morte de mais de 230 pessoas em uma boate na madrugada de domingo (27), a presidente Dilma Rousseff convocou o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, para pedir total atenção da capital gaúcha com a cidade da tragédia e que seja intensificada a fiscalização nas casas noturnas de Porto Alegre para evitar novas tragédias. "Ela manifestou toda a dor que sentiu ao avistar os pais das vítimas, especialmente às mães. Disse que ficou muito chocada porque se colocou no lugar de cada uma daquelas mãe, segundo palavras dela própria.", destacou o prefeito.

"Ela tem a grande preocupação de que tratemos os sobreviventes da melhor forma possível, mas pediu apoio, também, aos familiares.", afirmou o prefeito, que foi à Brasília para o Encontro Nacional dos Prefeitos, iniciado nesta segunda-feira. Porto Alegre já recebeu 44 vítimas do incêndio na boate Kiss. Outros sete sobreviventes que se encontram em estado grave foram transferidos na tarde desta segunda. Ainda há pelo menos outras 70 pessoas internadas em Santa Maria.

Segundo o prefeito, todos aqueles levados para Porto Alegre recebem atendimento nos dois hospitais especializados em queimaduras da cidade: o Grupo Hospitalar Conceição e o Hospital Pronto Socorro (HPS). A cidade tem, hoje, capacidade para receber 150 pessoas. Além de receber os feridos, a cidade montou uma casa de convivência para atender os familiares dos jovens atendidos na cidade, com serviços psicológicos e assistência social.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.