Governo: trem-bala só após a Copa-14

Trecho entre RJ e SP não deve sair antes dos jogos, afirma ministro

Leonardo Goy, O Estadao de S.Paulo

10 de setembro de 2009 | 00h00

O ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, admitiu, na manhã de ontem, que o trecho entre São Paulo e Rio do trem-bala poderá não ser concluído antes da Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil. "Pelo menos o trecho de Campinas a São Paulo deverá estar pronto, ligando dois importantes aeroportos. E, além disso, parte do trecho para o Rio deverá estar concluída", disse o ministro, depois de participar do seminário Transporte e Inovação, a Experiência Francesa.

Nascimento disse que a previsão total para a obra, ligando São Paulo, Campinas e Rio, é de cinco anos. E, por isso, é possível que até a Copa do Mundo não esteja pronta a ligação entre as duas capitais. O ministro destacou que deverá haver dificuldades nos trechos urbanos dessas cidades. "Mas o programa de obras é que deverá definir esses prazos", afirmou.

Nascimento também adiou a previsão para a realização do leilão de concessão do projeto do trem-bala. Segundo ele, o edital deverá ser publicado até o fim deste ano e a licitação deverá ocorrer no primeiro trimestre de 2010. No último balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a previsão era de que o leilão ocorresse no segundo semestre de 2009. Assim, se a previsão da obra é de cinco anos, considerando que o leilão será feito no começo de 2010, seria inviável concluí-la até julho de 2014, que é quando ocorrerá a Copa.

O projeto, entretanto, vem despertando interesse de investidores estrangeiros. O ministro dos Transportes da França , Dominique Bussereau, presente ao seminário realizado ontem, em Brasília, disse que, considerando o tamanho das regiões metropolitanas envolvidas no projeto, o trem-bala brasileiro deverá ser "extremamente lucrativo". Segundo o ministro francês, entre os projetos de trens de alta velocidade, hoje, nas américas, incluindo projetos nos Estados Unidos, o trem-bala brasileiro é o que está mais adiantado.

INVESTIMENTOS

Segundo estudos econômicos que estão hoje em audiência pública o trem-bala brasileiro deverá demandar investimentos da ordem de R$ 34,6 bilhões. Segundo o ministro Alfredo Nascimento, antes de o edital ser publicado é preciso ainda que ele passe pelo crivo do Tribunal de Contas da União (TCU).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.