Governo vai propor reforço do Fundo Soberano

O ministro Guido Mantega deve anunciar hoje o reforço do Fundo Soberano do Brasil (FSB), a poupança fiscal criada em 2008 para enfrentar eventuais dificuldades econômicas. Como a meta de superávit primário deste ano já está praticamente cumprida em função da forte arrecadação de impostos nos últimos meses, o excedente deve ser direcionado para o Fundo, segundo uma fonte do governo. De janeiro a julho, o governo cumpriu 80% de toda a meta fiscal estabelecida para o ano, que é R$ 117,9 bilhões. O governo federal, Estados, municípios e estatais economizaram R$ 91,9 bilhões para o pagamento de juros da dívida, o maior resultado para o período em dez anos.

Renata Veríssimo, O Estado de S.Paulo

29 Agosto 2011 | 00h00

Nos últimos dias, Mantega tem defendido uma nova relação entre as políticas fiscal e monetária. Para enfrentar os efeitos da crise financeira internacional, o ministro prometeu resultados fiscais cada vez mais sólidos, contendo novos gastos de custeio. Garantiu que perseguirá o cumprimento das metas cheias de superávit primário em todo o mandato de Dilma.

Fontes do governo disseram que medidas de ajuste foram costuradas na semana passada e que o anúncio deve ocorrer nesta segunda-feira, depois que a presidente aprová-las. Os recursos do FSB podem ser usados para aumentar as receitas do governo caso seja necessário para o cumprimento da meta de superávit primário. No entanto, o governo ainda não precisou usar a economia feita em 2008, ano de crescimento econômico forte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.