Governos paulista e federal assinam convênios na área da saúde

O governo paulista assinou nesta sexta-feira 51 convênios com o Ministério da Saúde, no valor de R$ 9,1 milhões, com o objetivo de fortalecer a estrutura do Sistema Único de Saúde (SUS), que não contava com esse benefício há mais de dez anos. A parcela do governo federal será de R$ 7,78 milhões e a do governo estadual de R$ 1,33 milhão.Entre os parceiros estão a Secretaria da Saúde, prefeituras, universidades e entidades filantrópicas. Além da Capital, 28 cidades serão atendidas pelos convênios.A verba dos convênios será destinada a várias áreas, entre elas prevenção e controle do câncer, setor que receberá a maior parcela de recursos, R$ 2,8 milhões. Os outros convênios serão assinados até 30 de junho, quando começa "quarentena eleitoral", e retomados depois das eleições.Após a solenidade, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou que as Santas Casas do Estado receberão mais R$ 18 milhões. A verba será liberada a partir deste sábado, durante o Congresso de Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, em Águas de Lindóia. "Vamos atender desde a Santa Casa de São Paulo até as menores do Estado", disse.Ainda há mais R$ 8 milhões que deverão ser transferidos para as Santas Casas. "Essa verba refere-se a uma Lei da Assembléia Legislativa. Antes, 1% da arrecadação dos cartórios paulistas era transferido para a Associação Paulista dos Magistrados. Agora vai para as Santas Casas", afirmou.O governador também assinou, na tarde de hoje, projeto de lei que altera o nome da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico, que passa a incorporar a pasta de Turismo, e cria a Agência de Fomento e Desenvolvimento ao Turismo do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.