Gracie morreu devido à mistura de drogas e remédios, diz IML

Psiquiatra Sabino Ferreira de Farias Neto será indiciado pelo homicídio culposo do lutador

Laura Diniz, de o Estado de S. Paulo,

21 de fevereiro de 2008 | 18h27

O psiquiatra Sabino Ferreira de Farias Neto será indiciado pelo homicídio culposo do lutador Ryan Gracie, encontrado morto na cela do 91º DP, na Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo, no dia 15 de dezembro. A informação foi confirmada pelo delegado do 91º DP, Roberto Calaça Vieira. Veja também:Médico rebate declarações da irmã de Ryan Grace  A declaração foi feita após a divulgação oficial dos resultados do laudo necroscópico do lutador, no Instituto Médico Legal (IML). Segundo o médico Laércio de Oliveira César, que fez a necropsia, Ryan morreu devido à combinação de sete drogas em seu corpo - duas ilícitas e três prescritas por Sabino.  Nesta segunda-feira, 17, a irmã do lutador, Flávia Grace, acusou o psiquiatra de ter intermediado os pagamentos a delegados e carcereiros para favorecer o paciente. O médico, no entanto, rebateu as acusações. "Fiz o meu melhor, estou convicto disso, mas infelizmente não foi suficiente para mantê-lo vivo", afirmou, dizendo compreender a dor da família Gracie. "Eu também estou arrasado. É meu segundo óbito em 31 anos de trabalho", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
Ryan Gracelutador morto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.