Granada é encontrada em frente a prédio no Rio

Uma granada defensiva de uso exclusivo das Forças Armadas foi deixada junto à lixeira de um prédio na Urca, na zona sul do Rio, nesta sexta-feira, 13. No bairro ficam instalações militares como Instituto Militar de Engenharia e a Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, além do Forte São João. O artefato estava sem o grampo de segurança e poderia explodir, caso fosse manuseado indevidamente. A granada foi detonada por peritos do Esquadrão Antibombas e surpreendeu os policiais: eles imaginaram inicialmente que se tratava de um artefato de efeito moral.A granada foi encontrada por um morador por volta das 8 horas, em frente ao prédio 502 da Avenida Portugal, a única via de saída do bairro. Um policial militar foi alertado e isolou a área. De acordo com o inspetor Ernande Carvalho, do Esquadrão Antibombas, a granada de efeito moral foi modificada e ganhou uma "camisa de estilhaçamento", no jargão técnico. "O artefato foi acionado, mas falhou. Se tivesse explodido, teria capacidade de lançar 300 estilhaços a 30 metros de distância", explicou. De acordo com o policial, o criminoso comprou uma granada com menor poder ofensivo por ser mais barata e a modificou para potencializar os danos. Sacos de areia foram utilizados para que o artefato fosse detonado. Os policiais utilizaram a técnica de explosão por simpatia - um explosivo foi detonado junto à granada, para que ela fosse destruída. O trânsito chegou a ficar interditado por alguns minutos. A movimentação atraiu curiosos e assustou moradores do bairro. A delegacia de Botafogo investiga a origem da granada.

Agencia Estado,

13 de outubro de 2006 | 16h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.