Granadas e bombas não dão direito a indenização

Granadas, bombas, munição, morteiros e outros materiais bélicos estão sendo recebidos pela Polícia Federal, mas não estão sendo pagas indenizações a quem faz a entrega. O coordenador do Programa de Recompra de Armas da Polícia Federal, delegado Fernando Segóvia, considera louvável esse tipo de contribuição, mas explicou que a lei só prevê indenização para armas de fogo. Ele disse que, apesar disso, égrande o número de pessoas que vem fazendo esse tipo de entrega nos postos da PF. Iniciada no último dia 15, a campanha já superou a casa das 10 mil armas devolvidas. A média já é superior a 3 mil armas coletadas por dia, mas o auge da campanha só será alcançado em meados de agosto, quando o credenciamento de instituições militares como Exército, polícias civil e militar e corpo de bombeirosdos Estados levarão os pontos de coleta aos 5.600 municípios brasileiros.A partir de agosto, também entrarão em cena as ONGs, igrejas e entidades civis que, por meio de credenciamento, apoiarão a PF na coleta de armas mediante a promoção de eventos, cessão de espaço,divulgação e campanhas de mobilização popular. O primeiro grande evento desse tipo está previsto para Diadema, no ABC paulista, a ser promovido pelo Instituto Sou da Paz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.