Grande Rio conta a história de Duque de Caxias na Sapucaí

Vice-campeã em 2006, a Grande Rio não empolgou ao levar para a Sapucaí um enredo caseiro: uma homenagem à cidade de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, onde fica a sede da agremiação. A escola apresentou alegorias didáticas, mas de pouca criatividade. Um dos destaques da Grande Rio foi o ator José Wilker. Ele desfilou como Tenório Cavalcanti, um justiceiro da região que inspirou o cineasta Sérgio Rezende a filmar O Homem da Capa Preta. Wilker usava uma capa e carregava uma metralhadora (de plástico). Ele atravessou o sambódromo entre as alas dos capangas de Tenório e dos passistas. Passou boa parte do tempo sem cantar o samba da escola. No final, ao ser perguntado sobre que imagem guardava de Tenório, o ator saiu em defesa de seu personagem. "Ele era um político clássico de um período da nossa história em que a canalhice não estava na ordem do dia." Outra atração da Grande Rio, Zeca Pagodinho, veio no último carro e saudava a platéia com o gesto típico de quem convida para um brinde. A Grande Rio, como sempre, trouxe para o desfile vários globais, entre os quais a apresentadora Ana Maria Braga. Ela até arriscou alguns passos de samba. Estava contida e preferiu a discrição. Já Marília Gabriela, dublê de artista e jornalista, corria à frente da escola e erguia os braços voltada para arquibancadas e camarotes, pedindo que o público aplaudisse a Grande Rio e cantasse o samba. Estava eufórica. Ninguém, porém, chamou mais a atenção na Grande Rio que a ex-Big Brother Grazielli Massafera, a rainha de bateria. Ainda no setor de concentração, ela se viu cercada por mais de dez seguranças e quase não conseguia andar. Na Sapucaí, distribuiu sorrisos e esbanjou simpatia. Aprovou. "Fiz ginástica por dois meses para me preparar, observei bastante o trabalho das passistas e estou feliz." A escola inovou ao monitorar o desfile com recursos tecnológicos: contou com o apoio de um laptop, comandado pelo técnico em informática Roger Monserrat, além de três câmeras espalhadas pela avenida. As imagens seguiam para um centro de triagem e, via Internet, chegavam ao monitor. A Grande Rio montou um estúdio na avenida para desenvolver esse trabalho. "Fizemos um desfile dentro das nossas expectativas. Estou otimista e acho que agora vamos chegar lá (ao título)", disse o carnavalesco Roberto Szaniecki.

Agencia Estado,

20 Fevereiro 2007 | 05h21

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.