Grávida passa oito dias em cativeiro

Denúncia anônima levou PM ao cativeiro; marido já estava a caminho para pagar resgate, de R$ 46 mil

O Estadao de S.Paulo

14 de dezembro de 2007 | 00h00

Graças a uma denúncia anônima, a Polícia Militar esclareceu o seqüestro de uma jovem de 21 anos, grávida de 8 meses, e pôs fim a um drama que durou oito dias. Os homens da Força Tática invadiram o cativeiro na Rua São Cândido, na Favela Paquetá, em Pirituba, zona norte, por volta das 23 horas de anteontem. Encontraram Fabiana Teles de Azevedo amarrada e vendada, com óculos escurecidos por fita isolante. A PM prendeu três homens e deteve um adolescente de 17 anos.Enquanto a polícia estourava o cativeiro, os seqüestradores tentavam receber pela terceira vez o resgate exigido, de R$ 46 mil. A informação sobre a libertação de Fabiana chegou ao marido, o comerciante Ricardo Pereira Dantas, de 21 anos, antes de ele entregar o dinheiro. Os bandidos acreditavam que o pai da jovem, que também é comerciante, poderia pagar um resgate de R$ 1,5 milhão pela filha. Mas Fabiana e a família são donos de duas modestas lojas na área de comércio popular do Brás, na região central.O seqüestro de Fabiana começou a ser planejado havia mais de um mês. A jovem foi abordada pelos bandidos às 20 horas no dia 4. Após fechar a loja em que trabalhava, entrou em seu Ecosport, acompanhada por uma funcionária. Na esquina das Ruas Silva Teles e Mendes Júnior, no Brás, os bandidos fecharam o automóvel. Dois homens armados retiraram a comerciante do carro e a levaram para o cativeiro. Em seguida, os seqüestradores telefonaram para o marido de Fabiana. Queriam o telefone do pai da jovem, de quem exigiram o pagamento de R$ 1,5 milhão. Como não tinha como pagar, a família resolveu negociar. Conseguiu fazer com que os bandidos aceitassem R$ 42 mil.O dinheiro deveria ser entregue em uma estação de trem na segunda-feira. Só que o marido de Fabiana tomou o trem errado e desceu uma estação depois da indicada pelos seqüestradores. No dia seguinte, ocorreu nova tentativa de pagamento. Dessa vez foram os seqüestradores que abortaram a operação. Exigiram resgate um pouco mais alto, de R$ 46 mil.Na noite de anteontem, os bandidos mandaram que o marido pegasse seu carro e fosse até o km 19 da Rodovia dos Bandeirantes, onde aguardaria novas instruções. Foi nesse momento que os PMs chegaram à casa de Pirituba. Ali, eles surpreenderam Jonathas dos Santos Moraes, o Nani, de 18 anos, armado com uma pistola calibre 9 mm. Segurança do cativeiro, ele foi preso e revelou que os comparsas estavam escondidos em uma casa próxima, na Rua da Vitória. Com a chegada das viaturas, a quadrilha tentou fugir em um Gol, mas acabou sendo presa. Dois outros seqüestradores identificados pela DAS estão foragidos.Josenildo da Silva Félix, o Nenê, de 19 anos, e Paulo Porfírio dos Santos, o Pança, de 21, e Nani foram levados à Divisão Anti-Seqüestro (DAS), do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado. O adolescente de 17 anos detido foi enviado à Fundação Casa (ex-Febem). O bando responderá por formação de quadrilha, seqüestro, roubo e corrupção de menor. MARCELO GODOY, ANA CAROLINA MORENO e ANDRESSA ZANANDREA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.