Greenhalg teme ações precipitadas

Ao deixar há pouco o QG da PM paulista, o deputado federal pelo PT e membro da Comissão dos Direitos Humanos da Câmara, Luíz Eduardo Greenhalg, afirmou que teme que os policiais da Tropa de Choque tomem atitudes precipitadas que venham a ferir detentos e reféns.?Os policiais da Tropa de Choque devem apenas obedecer o seu comando e não tomar qualquer atitude que venha de sua cabeça. Não queremos outra chacina de 111 presos e, só a decisão de colocar a Tropa de Choque dentro do Carandiru já revela que o bom senso não vem predominando?, afirmou, em contraposição às declarações do ministro da Justiça, José Gregori.Na avaliação de Greenhalg, o governo paulista foi surpreendido pelo grau de articulação dos presos. ?Isso mostra a organização de facções como o PCC e revela o grau de degradação do nosso sistema penitenciário. Essa certamente será a noite mais longa da história do sistema presidiário de São Paulo?, avaliou. O deputado disse acreditar que os presos libertarão os reféns amanhã pela manhã e que, por enquanto, todas as negociações estão interrompidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.