Greve de agentes penitenciários tem adesão parcial

Na primeira avaliação feita pelo Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de São Paulo (Sindasp), às 9 horas desta quinta-feira, era parcial a adesão dos agentes penitenciários à greve convocada em protesto contra o assassinato do carcereiro Nilson Celestino, de 41 anos, atribuído ao Primeiro Comando da Capital (PCC).Segundo o secretário-geral Rosalvo José da Silva, a adesão era maior nas unidades do oeste paulista, onde a greve atingia principalmente os presídios de Marabá Paulista, Pracinha, Presidente Prudente e Martinópolis.As atividades foram suspensas também em penitenciárias da Grande São Paulo e norte do Estado, segundo ele. Em muitas unidades, por medo de represálias, os agentes fizeram apenas paralisações simbólicas, com um minuto de silêncio, mantendo o atendimento normal aos presos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.