Greve de funcionários do metrô de Brasília chega ao segundo dia

Estão em circulação 30% da frota de trens, que é exigido por lei; funcionários operacionais e administrativos participam da paralisação

Solange Spigliatti, do estadão.com.br

24 de março de 2010 | 14h57

Os trabalhadores metroviários do Distrito Federal continuavam em greve nesta quarta-feira, 24, segundo dia de paralisação. A decisão foi tomada em assembleia realizada na noite de ontem.

 

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários do Distrito Federal (Sindimetrô), a entidade não havia recebido nenhuma notificação ao longo do dia e apesar da veiculação na mídia sobre decisão judicial no sentido de determinar os percentuais de funcionamento, serão mantidos os 30% de trens e empregados exigidos por lei.

 

Além dos funcionários operacionais, o movimento grevista conta com a adesão de parte dos empregados da área administrativa. Tal adesão fortalece a mobilização da categoria que aguarda um posicionamento do metrô e do GDF no sentido de buscar uma solução para o impasse.

 

No último dia 15, a categoria já havia paralisado as atividades. As 23 estações de metrô do Distrito Federal ficaram fechadas por conta da paralisação da categoria. Com a determinação, cerca de 160 mil usuários foram prejudicados.

 

Assembleia

 

Uma nova assembleia para discutir o rumo da greve deve acontecer às 20h de hoje, na praça do relógio.

Tudo o que sabemos sobre:
greveMetrôDFBrasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.