Greve de ônibus em SP é suspensa

Ao contrário do que o Sindicato dos Condutores havia anunciado no final da noite de ontem (17), a greve marcada pelas 53 empresas de ônibus da capital paulista para esta sexta-feira foi suspensa. A decisão final sobre o adiamento aconteceu em uma renião na sede da SPTrans, no Pari, região central da cidade, apenas à 1 hora de hoje, depois de quase 5 horas de conversa entre o presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores, Edvaldo Santiago, do secretário de Transportes da capital, Carlos Zarattini e do presidente da Transurb (Sindicato Patronal), Sérgio Pavani.O grande ponto de polêmica que gerou a ameaça de greve da categoria é o montante de R$ 12 milhões que as seis empresas que ficaram de fora no novo sistema de consórcios de viações terão de pagar para demitir seus funcionários. Com o novo sistema, foram criados 8 consórcios, nos quais serão divididas 53 empresas de ônibus. São eles: Bandeirantes, Norte, Plus, Aricanduva, Sul-transportes, Unisul, Fet e Sudoeste.A implementação deste novo sistema ocorreria neste sábado, mas o início dela foi adiado, por enquanto, para a próxima terça-feira. Até lá, empresas, funcionários e a Prefeitura poderão se reunir outras vezes para se chegar a um acordo definito." O importante é que conseguimos fazer a Prefeitura sentar conosco e conversar a respeito, o que não iria ocorrer se nós não tivessesm ameaçado entrar em greve. Eles estavam irredutíveis", disse Edvaldo Santiago.A Prefeitura conseguiu convencer a categoria a não entrar em greve, mas ainda não se livrou do impasse das multas recisórias de todas as seis empresas. "Nós já conseguimos resolver o assunto com três delas, faltam outras três, agora. Vamos das início às negociações e a população pode contar com o transporte de ônibus nesta sexta-feira", afirmou o secretário Zarattini.Neste final de semana, muitos motoristas e cobradores começarão a passar por treinos no novo sistema de transportes. No nível trabalhista, as empresas que estão no novo sistema demitirão seus funcionários e estes serão readmitidos em outras, de acordo com a área de atuação e seus respectivos consórcios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.