Greve de ônibus no ABC começa hoje

Pelo menos 3 milhões de pessoas devem ficar sem transporte de ônibus nesta quarta-feira nas sete cidades que formam o grande ABC Paulista - Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra. A estimativa é do Sindicato dos Condutores do grande ABC.A greve dos motoristas e cobradores de ônibus foi decidida na noite de ontem, na sede do Sindicato da categoria, em Vila Assunção, município de Santo André. Os motoristas reivindicam 10% de aumento real nos salários, manutenção de cláusulas trabalhistas, 25 minutos de parada para refeição (sem desconto no salário) e redução da jornada de trabalho de 7 horas e 20 minutos diários para 6 horas e 40 minutos.Os empresários das 33 companhias de transporte particulares da região apresentaram 3 contrapropostas, que foram recusadas pela categoria. De acordo com o sindicato, as 33 empresas particulares devem parar nesta quarta-feira. Só fica de fora da greve a ETCD - Empresa de Transportes Públicos de Diadema - empresa pública que tem outro acordo trabalhistaDe acordo com o presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de ônibus, Francisco Mendes da Silva, as comissões de garagens devem fazer reuniões em cada empresa para impedir a saída de ônibus das garagens.As contrapropostas apresentadas pelos donos das empresas de ônibus e recusadas consecutivamente foram as seguintes: 1ª) 5% de reajuste, não repassados para o Ticket Refeição. 2ª) 6% de reajuste no salário, repassados para o Ticket Refeição. 3ª) 6% de reajuste no salário, 15% de aumento no valor do Ticket e R$ 200,00 a título de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) para motoristas; e R$ 100,00 para cobradores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.