Greve do Metrô aciona plano de emergência dos transportes

SPTrans deve desviar destino de algumas linhas de ônibus até o centro da cidade

Agencia Estado

15 de junho de 2007 | 02h51

O Plano de Apoio entre Empresas de Transporte frente a Situações de Emergência (Paese) foi acionado a partir da zero hora desta quinta-feira, 14, por causa da decisão de paralisação dos metroviários. Segunda o Metrô esta ação de emergência busca "minimizar os transtornos que serão causados aos 3 milhões de usuários e à população em geral".Em nota oficial, a empresa afirma que a decisão pela greve foi precipitada, uma vez que as negociações ainda não se encerraram. "O momento ainda é de negociação e a prioridade é o atendimento à população e aos três milhões de usuários do Metrô".Conforme o Paese, a SPTrans, sua principal operadora, deve desviar o destino de linhas de ônibus que fazem final nos terminais metroviários, fazendo-os seguirem até o centro da cidade ou outro ponto mais estratégico. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) participa do mesmo plano montando esquema especial de trânsito, ainda não explicado. A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) deverá reforçar sua operação, especialmente na zona leste da capital. E a PM deve reforçar o policiamento para evitar tumultos. O Metrô afirma que foi preparado um esquema especial para garantir o acesso daqueles que pretendam "furar a greve", alertando a todos sobre "a responsabilidade de manter os serviços essenciais que atendam as necessidades inadiáveis da sociedade", destaca a nota.

Tudo o que sabemos sobre:
greveMetrôparalisação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.