Greve dos aeroportuários continua, mas com restrições

Sindicato acata decisão do TST e manterá 70% dos servidores em áreas de segurança e 40% em áreas não essenciais

Thiago Mattos, Especial para o Estado

01 de agosto de 2013 | 12h08

SÃO PAULO - Após o Tribunal Superior do Trabalho (TST) impor limites à greve dos aeroportuários, o Sindicato Nacional dos Empregados em Empresas Administradoras de Aeroportos (Sina) decidiu acatar a decisão judicial e manter 70% dos servidores em áreas de segurança e 40% em áreas não essenciais.

"A partir das 14 horas já começamos a operar com o porcentual exigido pela Justiça", afirmou Álvaro Cano, delegado sindical de Congonhas. "Mas o estado de greve continua."

A assessoria da Infraero informou que o órgão vai se reunir com o Ministério do Planejamento para apresentar a nova proposta à categoria, mas não soube apontar uma data.

Mesmo com a paralisação, a situação nos aeroportos é tranquila. Até o meio-dia, o site da Infraero mostrava que o número de voos atrasados em todo o país era inferior à média diária de 15%.

Tudo o que sabemos sobre:
Infraerogreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.