Greve dos marronzinhos tumultua trânsito em São Paulo

A greve dos funcionários da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) tumultuou o trânsito nesta sexta-feira em São Paulo. Com número reduzido de marronzinhos nas ruas, apesar do apoio da Guarda Civil Metropolitana (GCM) e da Polícia Militar, os motoristas voltaram a enfrentar grandes congestionamentos e sofreram com atrasos nas viagens.Ocorreram 17 casos de vandalismo em semáforos. Motoristas tiveram de negociar a passagem em 82 cruzamentos no centro e nas zonas sul e norte. No centro expandido, circularam veículos com final 9 e 0, desrespeitando o rodízio.A greve abriu uma guerra de números entre a CET e o Sindicato dos Trabalhadores no Trânsito Urbano (Sindiviários). Enquanto o presidente da companhia, Francisco Macena da Silva, divulgava lentidão de 38 quilômetros na cidade, às 9 horas, o presidente do Sindiviários, Luiz Antonio Queiroz, disse ter registros de 150 quilômetros de congestionamento no mesmo horário.O recorde de lentidão deste ano pela manhã foi de 99 quilômetros, no dia 17, por causa da chuva.Para a CET, dos 4.300 funcionários da empresa, 60% aderiram à greve. Para o Sindiviários, a adesão chegou a 85%. A greve começou às 22h40 desta quinta-feira e foi deflagrada em protesto contra 406 demissões anunciadas pela companhia, por causa de um corte orçamentário de R$ 29 milhões.Mesmo com número de funcionários reduzido, segundo Macena, a medição foi possível porque funcionaram 38 dos 42 postos de verificação do tráfego, localizados em prédios. O trabalho de medição começou às 8h30, com atraso de uma hora e meia. Ele classificou como "incoerente" o número do sindicato."Quando tem 150 quilômetros (de lentidão) a imprensa sabe, porque a cidade pára", afirmou. "É um dado técnico, não tão preciso, mas bem próximo do real", ressalvou Queiroz sobre a avaliação do Sindiviários.Os pontos de lentidão foram considerados por Macena como problemas "localizados". "O trânsito na parte da manhã não foi comprometido", disse. E acrescentou que o índice de 38 quilômetros de lentidão esteve dentro da média. No entanto, ocorreram filas de veículos e confusão nos cruzamentos em que os semáforos tiveram problemas. No início da noite, a CET ainda não tinha o balanço da lentidão da parte da tarde.Nos casos de vandalismo, houve retirada de placas e fusíveis dos equipamentos de controle dos semáforos. "Não vimos quem foi e, por isso, não estou afirmando que foi o sindicato ou alguém da CET", ressaltou Macena. Queiroz disse ter certeza de que os trabalhadores e o sindicato não foram os responsáveis.Em assembléia, os funcionários da CET decidiram suspender a greve às 22h40 desta sexta-feira. Eles farão nova assembléia na quarta-feira e, até lá, vão fazer autuações somente de infrações que ponham em risco a segurança do motorista. Normalmente, os marronzinhos aplicam cerca de 7 mil multas por dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.