Greve na CET vai complicar a 6ªF do paulistano

O normalmente caótico trânsito da capital pode atingir novo recorde de congestionamento. Além do grande movimento de veículos registrado normalmente às sextas-feiras, o motorista enfrenta nesta sexta-feira a paralisação temporária de cerca de 70% dos 4.300 funcionários da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Para piorar, estão mantidos o rodízio de veículos, a zona azul e as multas.Com a paralisação, que deve encerrar-se às 22 horas, o Sindicato dos Trabalhadores no Trânsito Urbano (Sindviários) pretende pressionar a Prefeitura contra demissões e pela reposição salarial. "Tivemos 22% de perda salarial e, em maio, haverá novas demissões", disse o presidente do sindicato, Luiz Antonio Queiroz.O sindicalista, que prevê um dia de caos no trânsito, afirmou que não houve alternativa. "Tentamos negociar, mas a CET não cedeu nem tentou um acordo", disse. Nesta sexta, às 16 horas, os funcionários devem reunir-se novamente para decidir se voltam a cruzar os braços na sexta-feira que antecede o carnaval. "A resposta sai depois da assembléia", garantiu Queiroz.Pelos cálculos do Sindviários, pelo menos 2 mil dos 2.200 funcionários do setor operacional devem parar. "Eles não removerão veículos quebrados ou acidentados, não farão manutenção dos semáforos e não aplicarão multa", acrescentou.Segundo a CET, 121 funcionários devem ser demitidos até o fim do mês, por causa de um corte orçamentário de R$ 29 milhões. No total, serão demitidos 155 funcionários, incluindo alguns que estão sendo desligados ou que aderiram ao Plano de Demissão Voluntária (PDV). As demissões excluem funcionários do setor operacional, os marronzinhos.Por meio de uma nota, a CET informou que estudou alternativas para diminuir o impacto da paralisação no trânsito. Desde as 22 horas de ontem, está em prática o Plano de Contingenciamento e o Esquema Operacional.A empresa pode acionar órgãos da Secretaria Municipal de Transportes para apoio e solicitar acompanhamento e suporte das concessionárias de rodovias para minimizar possíveis prejuízos nas entradas e saídas da cidade.O monitoramento por imagens será mantido para oferecer condições de segurança e fluidez nos principais corredores. O trabalho é feito online, diretamente das Centrais de Tráfego de Área.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.