Greve na Sabesp tem adesão total, diz sindicato

Os funcionários da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), entraram em greve à zero hora para reivindicar reajuste salarial de 9,65% sobre o salário de abril. Segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Água e Meio Ambiente (Sintaema) - que reúne também os trabalhadores da Cetesb -, Elisabeth Tortolano - os trabalhadores também querem que a Sabesp reveja benefícios que foram retirados no dissídio em 1999. A sindicalista disse que a adesão a greve é total, mas que o abastecimento de água não será afetado. "Os serviços essenciais à população estão garantidos", informou.Por serviços essenciais entende-se o monitoramento da qualidade da água distribuída e o abastecimento. Os reparos, os serviços comercial e operacional foram afetados pela greve, de acordo com Elisabeth. Ela informou que o movimento está ocorrendo nos 360 municípios do Estado que são abastecidos pela empresa. A Sabesp tem hoje 18,6 mil funcionários.CetesbFuncionários da Cetesb devem realizar daqui a pouco - e até o meio dia - uma paralisação na sede da empresa, na Rua Frederico Hermann Júnior, em Pinheiros, na zona Oeste. "Será um protesto para destacar a importância do trabalho neste setor e a forma que os funcionários estão sendo desprestigiados", explicou a presidente do sindicato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.