Greve provoca recorde de congestionamento em SP

No segundo dia de greve dos motoristas de ônibus, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou novo recorde de congestionamento durante o período da manhã em São Paulo. Às 8h30, foram medidos 123 quilômetros de vias congestionadas. Os piores trechos são as pistas expressa e local da Marginal do Pinheiros, no sentido Santo Amaro-Jaguaré, entre as pontes João Dias e Eusébio Matoso, e as pistas expressa e local da Marginal do Tietê, no sentido Penha-Lapa, entre as pontes Aricanduva e Casa Verde. Por causa da greve de ônibus, a CET suspendeu novamente o rodízio municipal e liberou o tráfego de veículos nas faixas exclusivas de ônibus e o estacionamento em áreas de Zona Azul.Na zona Sul, passageiros lotaram ônibus intermunicipais do bairro a bairro e lotações. Muitos trafegam com as portas abertas e passageiros pendurados do lado de fora. Pela madrugada um ônibus foi incendiado na Avenida Carlos Lacerda por grevistas. Pelo menos quatro outros foram apedrejados quando tentavam deixar a garagem da Viação Tupi, na Vila Santa Catarina. Ainda não há previsão para o fim da greve.DutraO trânsito está parado na chegada a São Paulo pela Rodovia Presidente Dutra, segundo a Polícia Rodoviária Federal. Tanto a pista expressa como a local têm três quilômetros de congestionamento como reflexo do excesso de veículos na Marginal do Tietê. A chegada à capital paulista pelas rodovias Fernão Dias, Régis Bittencourt, Imigrantes, Anchieta, Anhangüera, Bandeirantes, Castello Branco e Raposo Tavares acontece sem problemas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.