Greve tira 90% dos guardas municipais das ruas de Campinas

Noventa por cento dos guardas municipais da cidade de Campinas, no interior do Estado de São Paulo, deram início a uma paralisação às 18 horas de segunda-feira. A categoria reivindica pagamento adicional por risco de morte e honorários relativos a escalas e horas extras. Além disso, os guardas pedem melhor estrutura de trabalho, onde estão inclusas viaturas e armas.A Prefeitura de Campinas informou que os benefícios salariais vão ser discutidos durante a elaboração do plano de carreira da Guarda. O plano deve ser efetivado até o final do ano. A Prefeitura também garantiu que em julho a frota de viaturas, as armas e equipamentos de segurança serão trocados.O patrulhamento ostensivo da Polícia Militar da cidade de Campinas não sofreu alterações em decorrência da greve dos guardas, que têm como principal função cuidar da segurança interna e externa de prédios e órgãos públicos municipais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.