Grito dos excluídos reúne 1,5 mil em Porto Alegre

O Grito dos Excluídos reuniu cerca de 1,5 mil pessoas em Porto Alegre durante a manhã deste 7 de Setembro. A manifestação, organizada pelas equipes de pastoral social da Igreja Católica, percorreu as ruas centrais da cidade para denunciar a exclusão social e pedir trabalho, reforma agrária, moradia e proteção aos mananciais de água. Participaram grupos de jovens cristãos, sindicalistas, trabalhadores, sem-terra, desempregados, moradores de rua, homossexuais, artistas e militantes do PT, do PSTU e do PSOL."O grande objetivo é trazer dos porões, das favelas e dos morros os clamores que não são conhecidos do restante da população", explicou um dos coordenadores do ato, Luiz Carlos Selbach. Depois da concentração no largo Glênio Peres, a caminhada seguiu pela avenida Borges de Medeiros e teve paradas na Esquina Democrática e na Praça Daltro Filho. O encerramento ocorreu no Parque Farroupilha com distribuição de pães.

Agencia Estado,

07 de setembro de 2004 | 16h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.