Grupo acusado de realizar ataques em nome do PCC é preso

A Policia de Civil de Nova Odessa, no interior de São Paulo, prendeu na manhã desta sexta-feira, 11, um grupo de oito pessoas acusadas de praticar ataques contra o órgãos de segurança pública e ônibus do transporte coletivo em nome da facção Primeiro Comando da Capital (PCC). Dois homens são apontados como autores do incêndio do ônibus da Auto Viação Ouro Verde em 14 julho que atingiu o motorista Manoel Francisco da Silva, 44 anos, que teve 90% do corpo queimado. Silva ficou preso ao cinto de segurança e recebeu queimaduras de 2º e 3ºs graus. Ele ainda continua internado em recuperação na unidade de queimadura da Santa Casa de Limeira.Conforme o delegado Antonio Donizete Braga, com os 12 mandados de busca nas mãos os 24 policiais chefiados por 3 delegados concluíram as prisões. As primeiras investigações apontam que os acusados recebiam ordens e executavam as ações do PCC. O grupo é formado por três mulheres, sendo uma responsável pela coordenação dos atentados. Dois homens são os autores dos incêndios a ônibus e disparo contra bases da Guarda Municipal. Outros membros do grupo foram arrolados como associação criminosa e tráfico de drogas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.