Grupo ameça quebrar guichê da TAM em Brasília

Além de filas intermináveis e passageiros irritados, a sexta-feira, 22, também foi marcada com pelo menos três tumulto no no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília. Por volta das 15h30, cerca de 30 pessoas se juntaram à estudante de Direito Keila da Rocha, que reagiu indignada ao cancelamento do vôo da TAM que ia para Macapá (AP), e ameaçaram quebrar o guichê da TAM . A polícia foi acionada para conter o tumulto.A estudante ficou revoltada porque o primeiro vôo previsto para Macapá, atrasou cinco horas. Quando a aeronave chegou a Brasília para escala, a companhia comunicou o cancelamento do vôo, o que causou a confusão. Invasão de pistaNo início da tarde, um grupo de 30 passageiros da TAM, procedente de São Luiz, invadiu a pista do aeroporto de Brasília, em protesto contra os atrasos. O vôo 9051 saiu de São Luiz (MA) no horário, às 7 da manhã, e chegou a Brasília por volta das 11 horas, com pouco mais de 50 passageiros.Eles foram retirados do avião com a indicação de que o aparelho ia passar por algum tipo de manutenção. Mas cerca de 30 passageiros se rebelaram e correram para o meio da pista. A Infraero acionou a Polícia Federal e o Batalhão de Infantaria de Aeronáutica Especial. O grupo, porém, não foi indiciado, em razão da crise. Embarque recusadoPela manhã, o problema ocorria principalmente nos guichês das companhias Gol e TAM, que nessa época do ano têm um grande número de vôos saindo de Brasília, principalmente em direção ao Nordeste. O movimento deste ano, segundo funcionários das companhias, está bem acima da média de anos anteriores, com o agravante de coincidir com a crise do setor aéreo.A superlotação ocorria também dentro das salas de embarque. Para diminuir um pouco a pressão, as companhias estão colocando os passageiros dentro dos aviões, para aguardar a hora do embarque. Um grupo se recusou a entrar em um avião da TAM, que está com algumas horas de atraso, sem ter a certeza da hora da decolagem. Com a recusa houve tumulto e a Polícia Federal foi acionada para controlar a situação. Os passageiros retornaram para a sala de embarque,porque continuaram se recusando a entrar no avião, até terem certeza do horário do embarque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.